Avaliação psicológica

Afinal, o que é Avaliação Psicológica?

Muitas pessoas têm medo desse instrumento, se vêem julgadas, diminuídas ou "carimbadas" com um laudo diagnóstico. A avaliação não objetiva nenhuma dessas coisas, muito ao contrário.

Às vezes, são tantas as hipóteses diagnósticas do psiquiátra ou psicólogo, que não conseguimos estabelecer um tratamento adequado inicialmente. Para isso serve o diagnóstico: para estabelecer a melhor maneira de trazer essa pessoa ao seu máximo funcionamento saudável. O diagnóstico não serve de "carimbo", nem deveria ser um tabu. Afinal, quando vamos ao clínico geral, queremos que ele saiba que tipo de doença temos, certo? O tratamento para diabetes é diferente do tratamento de hipertensão, e queremos ter o melhor tratamento possível!

A avaliação psicológica e neuropsicológica nos possibilita fornecer ao paciente um diagnóstico mais preciso, através de instrumentos previamente validados e que possuem alto rigor científico de validação. O responsável por garantir que esses testes funcionam é o Conselho Federal de Psicologia, e divulgam no SATEPSI quais estão aptos a serem utilizados.

O único profissional habilitado e autorizado por lei a realizar a avaliação psicológica é o Psicólogo. Este deve estar devidamente registrado no Conselho Regional de Psicologia de seu estado para que possa exercer suas funções. Verifique aqui se seu profissional é credenciado!

Os instrumentos de avaliação, ou seja, os testes psicológicos não mensuram tudo em uma pessoa. Cada instrumento visa avaliar uma característica: alguns medem atenção, outros concentração, outros traços de personalidade e distúrbios específicos, como o TDAH (Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade). O profissional que trabalha com avaliação deve conhecer esses instrumentos e ser habilitado a trabalhar com eles!

A avaliação também é útil em processos jurídicos, ajudando a perceber se uma pessoa tem potencial agressivo para cometer um crime, estabelecendo se uma pessoa foi vítima de abuso sexual, verificando a capacidade dos pais em ficar com a guarda de uma criança e se o lar é propenso a fornecer um desenvolvimento saudável ou determinando se uma pessoa é apta a conseguir porte de armas.

Processos trabalhistas também são avaliados dessa forma, permitindo ou não que uma pessoa se aposente por questões mentais e psicológicas, assuma ou não uma vaga de concurso ou seja selecionada a uma posição em empresas.

Além de todas essas utilidades, a avaliação psicológica é usada no início da terapia, possibilitando que o terapeuta conheça seu cliente e possa desenvolver melhores condições de tratamento. Ao final do tratamento também é utilizada, para avaliar se os traços de personalidade que deveriam ser modificados realmente foram através da terapia.

 

Espero que tenha esclarecido um pouco sobre a utilidade da avaliação psicológica! Caso tenha outras dúvidas, sugestões ou interesse em agendar um encontro, por favor contate stephanie.sabarense@gmail.com.

 

Stéphanie Sabarense - CRP 01/15412 – CRP 09/007262