Facilitando a comunicação nos relacionamentos: Seja mais explícito!

 

 

Em todos os tipos de relacionamentos, sejam familiares, conjugais, amizades, de trabalho, tentamos medir o que dizer e o que ocultar para manter o bem-estar da relação. Imaginamos que o outro não quer ouvir algumas verdades, que outras não precisam ser ditas “pois estão subentendidas” e que dizer “não” pode ser prejudicial. O que é facilmente confundido é o limite: Até quando dizer não? Até onde o que não é dito realmente está sendo compreendido? Será que eu preciso ser ainda mais claro?

As pessoas não tem como adivinhar o que se passa na cabeça das outras. Se fosse possível, muitos problemas seriam evitados em todas as áreas. É possível que você não esteja deixando claro o suficiente o que deseja, sendo assim, não há como a outra pessoa ajudar. Entenda no exemplo: se todas as vezes eu disser a alguém que gosto de pudim como sobremesa, as chances de ganhar pudim aumentam. Porém, o que acontece é que muita gente gosta de mousse de maracujá, agradece todas as vezes que recebe pudim e nunca explicita sua preferência por mousse! A menos que você diga com todas as letras: “Eu prefiro mousse de maracujá”, o outro vai oferecer pudim, por acreditar que seja essa sua preferência.

O que acontece todos os dias é que se aceita o pudim de sobremesa e espera-se que a outra pessoa “adivinhe” que o desejo é mousse! Não adianta, ninguém vai adivinhar o que você quer! Esperar que o outro adivinhe e satisfaça sua vontade é uma postura injusta e propensa à frustração. Manifeste suas vontades, não deixe o não dito por entendido. Indiretas podem não ser claras, diretas podem não ser claras, mas dizer com todas as letras o que se pretende tem chances altas de ser claro.

Sofre-se muito por não conseguir dizer “não”, por esperar que o outro saiba o que queremos, pelo medo de ser claro e ofender o outro. A maneira como dizemos as coisas é tão importante quanto o que é dito. Se a verdade a ser dita é difícil, tente abrandar, saber se o outro está pronto para ouvir, preparar emocionalmente o outro para o que está prestes a escutar e usar palavras amenas e gentis.

Se o seu relacionamento passa por dificuldades como estas e você não vê como seria possível modifica-las ou não consegue colocar em prática suas decisões de mudar, talvez seja a hora de procurar ajuda profissional. A terapia de casais e famílias tem como um dos propósitos intermediar a comunicação e ensinar às pessoas a se expressarem melhor.

 

Stéphanie Sabarense – CRP 01/15412 - CRP 09/007262