Melhorando relacionamentos: “Eu disse claramente o que quero, e agora?”

 

O artigo anterior tratava de comunicação mais clara e explícita. Você manifestou sua vontade claramente, e agora? É hora da outra pessoa decidir se quer o mesmo que você ou não. Nem sempre teremos nossas vontades realizadas. A pessoa que está conosco pode não estar de acordo. Nessa situação, o que pode ser feito é negociação, compreensão ou concessão.  

Podemos tentar entrar em acordo cedendo em algum ponto, nos colocando no lugar da outra pessoa, tentando mostrar nosso próprio ponto de vista e buscando entender o outro ponto de vista. Muitas vezes as pessoas ouvem, mas não escutam, não tentam realmente compreender. Esperamos apenas que a outra pessoa se cale para que possamos voltar a defender nossos argumentos, sem tentar compreender o outro ponto de vista (isso parece familiar?). Quando as nossas barreiras e defesas estão levantadas, a discussão fica pouco produtiva. Para não entrar em uma eterna luta de egos, buscando vencer um argumento a qualquer custo e convencer a outra pessoa, pergunte-se: “se fosse comigo, como eu agiria? Eu gostaria de ser tratado da maneira como estou tratando o outro? O que será que a outra pessoa sente e pensa com essa situação? O que o outro defende faz sentido para mim e parece certo? ”. 

Outra opção é chegar a um meio termo. Discussões e ideias nem sempre precisam ser vencidas, podem ser unidas, modificadas e negociadas. Tente ceder em alguns pontos e negociar para que a outra pessoa também ceda, tentando chegar a um ponto em que ambos fiquem satisfeitos. Pensem em conjunto, vejam se a ideia principal pode ser melhorada ou modificada de maneira que agrade a ambos. Em algumas decisões isso pode não ser atingido, porém significa muito quando as pessoas tentam se colocar no lugar das outras, sendo também muito gratificante ser realmente reconhecido e compreendido.

Por fim, caso não haja negociação, aceite o fato de que nem sempre o que se planeja, defende e anseia será aceito por outros. Resistência à frustração é uma característica importante para todo mundo e que às vezes é trabalhada contra a própria vontade, quando não se alcança seus objetivos. Nos casos de decisões muito importantes de vida, quando uma pessoa deseja algo e a outra pretende o oposto, pode-se chegar à necessidade de repensar qual a importância da decisão e a importância da pessoa (ou emprego) na sua vida e objetivos. Talvez a maneira de resolver as coisas seja procurar algo, situação ou alguém mais condizente com o que você realmente quer.

 

Stéphanie Sabarense – CRP 01/15412 - CRP 09/00726